Economia Colaborativa: você conhece esse mercado?

03 de julho de 2019

 

 

A “Economia Colaborativa” ou “Economia Compartilhada” tem feito adeptos em diversas áreas e já é um conceito de ampla adesão no mercado. Ao ser aplicada ela ajuda na redução dos gastos, visto que as empresas se utilizam de bens e serviços de forma compartilhada. Por exemplo, quando é necessário fazer algum trabalho com uma furadeira, ao invés de ir e comprar uma, é possível alugar pelo tempo necessário e, depois, devolvê-la.

Dados afirmam que esse tipo de ação feita pelas empresas pode resultar em uma economia de até 25% em relação ao gasto contraído se esses bens e serviços fossem comprados. Em resumo, a economia colaborativa é uma rede onde as empresas podem compartilhar bens e serviços. Esse mercado criou diversas opções como a criação de aplicativos voltados para o compartilhamento em que são oferecidas as mais diversas opções.

Já é possível encontrar aplicativos para aluguel de vagas de garagem, venda de roupas usadas, contratação de guias turísticos, entre outras coisas. Ainda há os modelos de escambo, onde são feitas trocas como aulas de inglês de um professor por aulas de dança de outro. As opções são muitas.

 

CoWorking

Uma forma conhecida de economia colaborativa é o CoWorking. Geralmente a empresa que chegou primeiro paga o aluguel e as demais empresas que utilizam o espaço onde trabalham os vários negócios trocam esse valor em serviços prestados. Acaba por se tornar uma opção de mercado onde pessoas autônomas podem oferecer seus serviços de forma mais organizada e precisa.

Além dessa prática, há empresas que não chegam a dividir espaço com outras, mas que alugam salas para reuniões – principalmente para empresas de home office e negócios que estão começando seu trabalho. Dessa forma elas conseguem atender seus clientes de forma mais profissional, mesmo não contando com uma sede.

 

O mercado

Além dos exemplos citados, há ainda alguns Marketplaces que trabalham no formato de economia compartilhada. Um desses casos é o Enjoei, que reúne pessoas que querem desapegar de roupas e bem usados e aqueles que buscam por esses produtos. Além dele temos ainda o iFood e o Software Ideia no Ar.

A ideia é tida como inovação e o futuro do mundo dos negócios. Ainda há muito espaço e nichos a serem explorados, principalmente no setor de serviços. Especialistas afirmam que as empresas com visões antiquadas vão, eventualmente, ficar para trás na competição pelo espaço no mercado.

Escrito por Andrei Santos
Colaboração: João Franzen

Andrei Santos Autor

Andrei é Produtor de Conteúdo da área de Marketing da WebGlobal. Graduado em Jornalismo, tem experiência de quase uma década em redação de jornais impressos e produção de conteúdo nos mais diversos segmentos.

Deixe seu comentário

Seu email não sera publicado. Campos com * são obrigatórios.