A importância da marca para o consumidor

25 de julho de 2019

 

 

O cenário comercial mudou muito nos últimos anos e, com ele as estratégias de marca e o comportamento do consumidor. Enquanto, antes, o cliente se preocupava apenas em receber o que comprou; hoje a relação entre marca e consumidor é mais ampla e o chamado Consumidor 4.0 efetua suas compras conforme sua relação com a empresa.

Sendo assim, empresas vivem quando recebem atenção do público, em um momento onde há uma infinidade de opções, se destacar deve ser uma das prioridades e manter seu nome em alta ajuda em diversos setores da empresa.

Pirâmide de Kotler e o conhecimento de marca

O conhecimento de marca está ligado diretamente ao que pensam os consumidores acerca de sua marca. Esse conhecimento se dá a partir do conjunto de associações e comportamento de clientes analisados com as pesquisas de mercado baseado em 15 questões básicas que colocam os consumidores dentro dos cinco patamares da Pirâmide de Kotler. Vamos conhecer:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desconhecimento: apesar de estar representada como a base da pirâmide, não é normalmente o que representa a maior concentração de pessoas, também não sendo o ponto mais negativo da pirâmide. Representa apenas o fato de que sua empresa não é conhecida fora de um nicho ou que sua estratégia de publicidade não está sendo efetiva.

Rejeição: o pior ponto que se pode atingir dentro da escala. Não há nenhum tipo de apreço pela sua marca, produtos e serviços, é um cliente quase perdido, seria necessário muito esforço para mudar a situação com estes consumidores, sendo necessária a avaliação cautelosa da quantidade de recursos disponíveis e a porcentagem de clientes pertencentes a esta classe da escala

Familiaridade: a classe do meio. Comumente a maior de todas. Fazem parte desta linha todos clientes que conhecem a sua empresa e marca, mas não necessariamente compram seus produtos, sendo este o principal público para ser trabalhado, pois se encontram no meio podendo subir de nível dentro da pirâmide, para assim atingir os patamares de Preferência ou de Idealizador, mas caso tratados de forma errada podem mover para níveis mais baixos.

Preferência: neste patamar a sua empresa é a primeira a ser levada em consideração quando o cliente pensa em uma compra, sempre que possível o consumidor dará preferência para sua empresa, mas haverá momentos que ele terá de ceder por diversos motivos distintos, entretanto ele ainda irá querer utilizar seus produtos/serviços.

Idealizador: esta é a ponta da pirâmide. Estes clientes devem ser mapeados, pois defendem sua marca e empresa sempre que necessário, não necessariamente são consumidores exclusivos, muitas vezes têm de abdicar da compra da sua marca caso seu produto ou serviço tenha um valor proibitivo para alguma classe social ou não encontre disponível no país de origem do consumidor. Ainda assim estes clientes devem ser desenvolvidos. Algumas empresas optam por desenvolver experiências marcantes para faze-los ainda mais fãs da marca. Por exemplo, a marca de calçados femininos Petite Jolie, leva suas maiores defensoras para conhecer a fábrica e o mais importante deste dia, para elas, é poder conhecer as novas coleções dar sua opinião sobre os designs e cores dos sapatos adotados nas coleções futuras. Esse é um dos exemplos de como empresas melhoram seus relacionamentos com estes clientes tão importantes.

 

Por fim, a decisão de como trabalhar sua marca no mercado está diretamente ligada ao cliente que você quer atrair para o sua empresa. Além do consumidor, fornecedores e talentos da nova geração são afetados pelas decisões estratégicas que você tomar. Além de mais conscientes, eles ainda são movidos por propósitos fortes e a valores que sua empresa passa. Obviamente, este tipo de estratégia pode vir a gerar aumento nos preços, mas não afeta negativamente suas vendas, pois segundo Simon Sinek “as pessoas não compram o que você faz, mas por que você faz”.

Andrei Santos Autor

Andrei é Produtor de Conteúdo da área de Marketing da WebGlobal. Graduado em Jornalismo, tem experiência de quase uma década em redação de jornais impressos e produção de conteúdo nos mais diversos segmentos.

Deixe seu comentário

Seu email não sera publicado. Campos com * são obrigatórios.